quinta-feira, 7 de junho de 2012

Semântica


SEMÂNTICA
Pierre Guiraud é um linguista francês, nascido em 26 de setembro de 1912 em Sfax (Tunísia), morreu 02 de fevereiro de 1983 em Paris. Em 1963 foi nomeado professor de lingüística na Universidade de Nice. Escreveu o livro, semântica, tradução e adaptação de Maria Elisa Mascarenhas, Pierre descreve em seu livro semântica, as diversas formas de aceitação e conceituação por diferentes estudiosos.
Dividido em seis capítulos o livro, semântica, destaca, o processo semântico; a função semântica; as mudanças de sentido, duas formas, suas causas; a semântica estrutural e as semânticas.
A semântica é o estudo do sentido das palavras, Pierre Guiraud, deixa claro em seu livro que ao lado da semântica linguística, existe a semântica filosófica e a semântica geral. O ponto de partida da semântica linguística é o estudo das mutações de sentido; a semântica filosófica no sentido de semântica da filosofia, da linguagem enquanto instrumento do conhecimento, e por fim, a semântica geral de Korzybsyi toda a reação psicológica constitui uma resposta a um signo, é uma reação semântica, e a palavra deve ser tomada em seu mais amplo sentido.  A palavra é criada espontaneamente pelo ser humano, segundo Saussure o signo linguístico é uma associação de duas imagens: o significante e o significado, a primeira, forma acústica significante e o segundo o significado (sentido).
As palavras são criadas pelo próprio ser humano, porém, para fazerem parte de uma comunicação devem ser conhecidas em certa comunidade, para que haja a comunicação. A partir daí a própria palavra toma rumo diferenciado e se multiplica. Devido a este fenômeno surgem as figuras de linguagem, os empréstimos linguísticos, os processos de derivação,  composição e as mudanças de sentido.
Guiraud fala da economia linguística, ao passar do tempo às palavras se reduzem para ter agilidade na comunicação, não havendo clareza na comunicação ocorrem colisões e conflitos, palavras que em um mesmo contexto tem sentidos diferentes.
Trier cria a teoria dos campos semânticos, cujos resultados são parciais, já que não ultrapassa o nível da palavra. Trier estuda a vida espiritual e moral tendo como finalidade atingir o espírito. A lexicologia de Matoré faz parte da semântica estrutural e abrange a formação de palavras, a estatística do léxico. A lexicologia estabelece, delimita e estuda os campos nocionais que caracterizam uma sociedade.
A semiótica lida com os conceitos, as ideias, a semiótica de Peirce não é considerada um ramo do conhecimento aplicado, mas sim, um saber abstrato e formal generalizado. Já para Saussure os signos inerentes ao mundo da representação são constituídos por um significante sua parte material e pelo significado sua esfera conceitual.
Para quem deseja ter uma melhor compreensão do que vem ser a semântica suas divisões e conceitos, é bom que leiam o livro, semântica, de Pierre Guiraud, porquanto contém questionamentos e conceitos inerentes ao assunto. O livro possui uma didática muito clara, objetiva, portanto, é de fácil compreensão. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário